Técnico diz que resultado brasileiro no mundial de Cross não foi bom

Simone Alves desistiu do Cross  após machucar o pé (foto: Marcelo Ferrelli/CBAt)
Simone Alves desistiu do Cross após machucar o pé (foto: Marcelo Ferrelli/CBAt)

O resultado brasileiro na disputa de oito quilômetros do Mundial de Cross Country, de Punta Umbría, neste domingo (20/3), infelizmente não foi como se esperava. A campeã sul-americana da modalidade, Simone Alves da Silva, do Clube Bm&f Bovespa, na véspera da competição machucou o pé e acabou desistindo da prova.

No feminino adulto, as quenianas Vivian Cheruyiot e Linet Masai foram a primeiras a chegarem, com os tempos de 24min58 e 25h07, respectivamente. Quem completou o pódio foi Shalane Flanagan, dos Estados Unidos, que levou uma medalha de bronze por cruzar a linha de chegada em 25min10. Já nos 12 quilômetros da disputa masculina, o etíope Imana Marga ganhou a medalha de ouro com a marca de 33h50. Enquanto que o queniano Paul Tanui foi o vice-campeão (33h52), seguido pelo compatriota Vincent Chekok (33h53).

O brasileiro Éderson Vilela, da mesma equipe de Simone, foi classificado em 87º lugar e registrou o tempo de 37min55 durante a corrida. Para Ricardo D’Angelo, técnico do Clube Bm&fBovesta, que acompanhou a seleção brasileira na competição, a prova estava rápida, bastante plana e gramada, mas logo na terceira volta os atletas começaram a se cansar.

“O Joilson sentiu dor nas costas na terceira volta e acabou parando. Como não fazemos uma temporada de cross country, nossos corredores sentiram um pouco mais e a equipe não teve um resultado tão bom, mas foi válido como preparação para a temporada que está começando”, avalia Ricardo.

Este texto foi escrito por: Webrun

Redação Webrun

Redação Webrun

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!

Ver todos os posts