Como a tecnologia pode ajudar no desempenho físico dos atletas?

Como a tecnologia pode ajudar no desempenho físico dos atletas?
Como a tecnologia pode ajudar no desempenho físico dos atletas? – Foto: Adobe Stock

Entra ano, sai ano e a vontade de mudar de vida em prol da saúde está na lista de metas da maioria das pessoas. O problema é que, muitas vezes, se exercitar e cuidar da alimentação fica em segundo plano, por conta da correria e dos obstáculos que enfrentamos no dia a dia, como trânsito, trabalho, estresse, entre outros. Para se ter uma ideia, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) , quase metade da população brasileira (47%) não pratica o mínimo de exercícios para manter o corpo saudável – o recomendado pela instituição é cerca 150 minutos por semana. Diante desse panorama, o país lidera o ranking de sedentarismo na América Latina e é o 5º mais sedentário do mundo.

+ Descubra qual será o seu próximo desafio na corrida de rua aqui!

Mesmo com este cenário não tão positivo, o mercado de atividades físicas segue em crescimento. André Bandeira, Country Manager da Polar Brasil – pioneira na tecnologia de wearables esportivos e referência em precisão de dados desde 1977-, explica que a geração dos dias de hoje tem um ponto a seu favor na hora de se exercitar: o uso da tecnologia. “Este mercado quando cresce movimenta outros setores, como o de moda fitness, alimentação saudável, suplementos, sem deixar de lado a tecnologia, já que dispositivos como relógios e monitores de atividades físicas são muito procurados pela população como uma forma de auxílio e incentivo no acompanhamento de treinos e da rotina”, explica.

Vantagens de apostar na tecnologia para sair do sedentarismo

Monitoramento cardíaco: concebida como um dos principais parâmetros na mensuração do esforço físico, a frequência cardíaca pode auxiliar os seus usuários, independentemente do nível de experiência, na busca pelos seus objetivos, desde a perda de peso até a superação em uma prova de corrida de rua. Além dos relógios esportivos, que por sua vez contam com sensores de frequência cardíaca integrados, a Polar conta com sensores de frequência cardíaca que se conectam, por meio do Bluetooth, ao equipamento de ginástica de preferência do usuário. “Por meio destes dados, é possível saber o quanto o corpo está trabalhando naquele exercício, além de controlar as calorias, e ajustar a intensidade de acordo com as suas recomendações e seus objetivos”, comenta.

Controle do sono: assim como praticar atividades físicas com frequência, manter uma boa rotina de sono também é imprescindível para ter uma boa saúde, pois auxilia na diminuição do estresse, da ansiedade e é fundamental no processo de recuperação do corpo pós-exercícios. “Nossos produtos possuem recursos de monitoramento do sono extremamente avançados, que ajudam o usuário a alcançar um estilo de vida mais equilibrado ao avaliar a duração, a continuidade e a qualidade de cada noite de descanso”, diz o Country Manager.

Alcança diversas modalidades: nem sempre fazer aeróbico e musculação na academia agrada todo mundo. E, pode parecer que não, mas a atividade física é muito mais efetiva quando é prazerosa a quem pratica. “A tecnologia nos proporciona isso, com dispositivos feitos para o monitoramento de diversos tipos de atividades, como corrida, ciclismo, natação, futebol, pilates e ballet, por exemplo”, salienta.

Motivação e responsabilidade: nem sempre temos disposição para malhar e não são todas as pessoas que têm aquele amigo para incentivar. Por isso, existem wearables esportivos que contam com aconselhamento para motivar o desempenho da atividade física. “Com a ajuda do relógio é possível estabelecer metas diárias/semanais, receber recomendações personalizadas de diferentes regimes de treinamento e, a partir disso, conhecer melhor o seu corpo, descobrindo quais atividades e sob qual ritmo você se sente bem”, conta André.

Acompanhe seu desempenho com dados concretos: cada dia mais os dados movem o comportamento das pessoas – seja desde o momento em que se levanta da cama, o melhor momento para se exercitar, o melhor tipo de exercício a se fazer ou até a melhor hora para ir dormir. “Quando se fala em atividade física, a tecnologia também tem seu papel fundamental. Por meio de sensores integrados e dados conectados é possível mensurar os hábitos diários do seu usuário, 24 horas por dia, e indicar o seu estado de saúde baseado em sua rotina”, revela o Country Manager da Polar Brasil.

André se mantém muito otimista sobre o mercado de wearables esportivos no Brasil, afinal, a busca por estes dispositivos cresce a cada ano no país. De acordo com o Gartner , este mercado está em plena expansão, projetando um crescimento anual estimado de 16,7% e podendo atingir US﹩ 34 bilhões, globalmente, em 2020. Outro dado importante é sobre o setor de aplicativos de atividades físicas, que avançará de 2,6 bilhões de dólares em 2020 para 10,9 bilhões de dólares em 2026, segundo a consultoria americana Grand View Research .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Redação Webrun

Redação Webrun

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!

Ver todos os posts