Termina a Volta de Santa Catarina

Ciclista da equipe Memorial (na foto os quatro primeiros bikers) foram os Campeões (foto: Eduardo Santos/ESIMAGES)
Ciclista da equipe Memorial (na foto os quatro primeiros bikers) foram os Campeões (foto: Eduardo Santos/ESIMAGES)

Com um trabalho de equipe perfeito, o ciclista Antonio Nascimento, da Memorial-Santos, confirmou neste domingo (dia 7), em Joinville, o título da 17a Volta Ciclística internacional de Santa Catarina, a mais importante competição de longa duração do ciclismo brasileiro. Na última etapa, após nove dias de disputas e 751,8 quilômetros percorridos, ‘Tonho Love’, como passou a ser chamado, só precisava completar a prova no pelotão e, mesmo assim, chegou na 3a colocação, ratificando a condição de ciclista completo.

A festa foi completa para a Memorial, número 1 do ranking brasileiro nos últimos três anos, que garantiu o título geral por equipes, o prêmio de montanha, também com Tonho, e o de metas volantes (chegadas intermediárias), com Rodrigo de Mello Brito, o Morcegão, vencedor das duas últimas etapas, consagrando-se o “Rei de Joinville” nos pedais. O grupo também comemorou o grande desempenho de Márcio May, tricampeão da Volta, que ficou em 3o lugar no geral, sendo o melhor catarinense.

Tnho disputou a prova de circuito com os títulos nas mãos, mas com muita precaução. Nos 50 km, divididos em 19 voltas, o importante era que nada de errado acontecesse, porém na 11a volta, teve o pneu furado e, prontamente, o companheiro de time, Hernandes Quadri Júnior, o atleta mais experiente da disputa (participa desde a 1a edição), trocou de bicicleta para que ele não perdesse tempo.

Para completar, Morcegão passou em 1o lugar nas duas metas volantes e na volta final, deu um sprint fantástico, para encerrar a Volta em grande estilo para a Memorial. Logo depois, o vencedor da etapa desfilou pela avenida com a capa do batman. Provando estar muito bem preparado, Tonho também veio embalado e chegou na 3a colocação. “Ainda não estou acreditando. É um sonho. Tenho de me acostumar com isso”, comemorou o novo campeão, que recebeu o troféu das mãos do governador de Santa Catarina, Luiz Henrique da Silveira.

Apelidado na Volta de ‘Tonho Love’, por sua simpatia e ares de galã, ele mostrava confiança, desde o início da competição. Tanto que pediu para o técnico da equipe, Cláudio Diegues, confeccionar a roupa da cor amarela (usada pelo líder), ao contrário da tradicional azul da Memorial-Santos. Também fez a verde, das metas volantes, que acabou com Morcegão. “Só a branca com bolinhas vermelhas, do campeão de montanha, não ficou pronta”, lamentou. “É mais um marketing. Acho que temos de inovar aqui no Brasil. Já fazem isso no exterior”, ressaltou.

Exemplo dePersistência – Mostrando humildade, disse que a vida pessoal continuará a mesma. “O que muda é que no cenário do esporte, todos vão ver que batalhando você pode chegar lá. Não quero ser um ídolo, mas sim um exemplo de persistência”, afirmou Tonho. Sobre o novo apelido, confirmou a simpatia. “É um grande prêmio que levo dessa Volta. Todo esse carinho, respeito e admiração de todos”, afirmou o ciclista de 26 anos de idade e nove de pedal.

Natural de Brejo Santo (próximo a Juazeiro do Norte, no Ceará) e morando atualmente em Guarulhos, ele defende Santos há dois anos e ressaltou o trabalho da equipe, sobretudo no momento do furo do pneu: “Susto a gente sempre passa, mas eu sabia que tinha a equipe para contar. Confiança é tudo e confiei plenamente no meu grupo”. “Tenho de agradecer especialmente ao Hernandes, que é um dos maiores ciclistas do Brasil e mostrou a todos o espírito de união que temos”, comentou.

O atleta mais experiente do País e bicampeão da Volta de Santa Catarina disputou a última etapa justamente com a função de ser “escudeiro” de Tonho. “Somos um time e o importante é a Memorial vencer. Sai com essa missão e fiz isso de coração”, explicou Hernandes. Com um público de aproximadamente 10 mil pessoas, a última etapa foi emocionante. Todo o tempo, vários atletas tentaram fugas, mas nos momentos certos a equipe campeã soube se posicionar e Morcegão reinou, vencendo os dois prêmios de metas volantes e a bandeirada final.

O sprint final foi muito forte, numa disputa com vários ciclistas, mas antes da linha de chegada, ele já erguia as mãos comemorando. “Para mim foi muito bom essa vitória e melhor ainda para a equipe que fechou esse desempenho fantástico com chave de ouro”, disse o vencedor da etapa, que ganhou o apelido por pedalar “sugando” os outros ciclistas (indo na roda dos outros, aproveitando o vácuo) para “voar” nos metros decisivos.

Após o final da prova, o grupo festejou unido. O técnico e um dos fundadores da equipe, Cláudio Diegues, estava emocionado. “Criamos esta equipe no início de 2000 e perseguimos este título há quatro anos. Mostramos que estamos no caminho certo, com uma equipe vencedora, com garra, união. Agora, esperamos comemorar também a vitória em outubro nos Jogos Abertos do Interior, em São Paulo, competindo em casa”, disse.

Trabalho Completo – O tricampeão da Volta, Márcio May, também ficou feliz com a 3a colocação. “O importante é que a nossa equipe venceu e convenceu. No dia da contra relógio estava com febre e não deu para dar 100%. Hoje (domingo) fizemos um trabalho perfeito e completo. Todos trabalharam muito forte para que o Tonho ficasse com o título e o Morcego vencesse a etapa. O Hernandes, eu, o Grandão (Robson Ribeiro) e até o Fabão (Fábio Fagundes), que competiu pela mista, mas é da nossa equipe. Sem esquecer da retaguarda, com o nosso técnico Cláudio Diegues e o mecânico Jaime Quaglio”, afirmou.

“No ano que vem, volto com o força total e ainda vou comemorar o tetra”, ressaltou. A Volta de Santa Catarina de 2003 foi disputada em nove dias e os ciclistas percorreram 751,8 km pelas estradas, com boa parte em serras. Enfrentaram frio de até quase 0 graus e subidas saindo do nível do mar até 1.800 metros de altitude. Dos 126 atletas que começaram no dia 30, 82 conseguiram completar neste dia 7. Para o próximo ano, a Federação Catarinense de Ciclismo, organizadora do evento, planeja uma disputa com nada menos que 15 dias e aproximadamente 1.500 km.

A competição fez parte do calendário da União Ciclística Internacional (UCI), que classifica os atletas para os Jogos Olímpicos. Dos cinco títulos em disputa, a Memorial faturou quatro, individual, por equipes, montanha e metas volantes. Na sub 23, Alex Arseno, da Dataro Computadores/ Curitiba, foi o vencedor. O ciclista de 20 anos terminou em 4o lugar na classificação geral. Os resultados completos podem ser acompanhados no site da Federação Catarinense de Ciclismo: www.ciclismosc.com.br. A 17a Volta Ciclística de Santa Catarina teve o patrocínio da Vega do Sul, Governo do Estado de Santa Catarina e Golden Bingo.

CLASSIFICAÇÃO FINAL INDIVIDUAL APÓS 9 DISPUTAS (758 KM)
1 Antonio Nascimento (Memorial-Santos) 17h 48min 56s
2 Maurício Morandi (Vince/ Blumenau) 17h 50min 16s a 1minuto e 20 segundos
3 Márcio May (Memorial-Santos) 17h 50min 54s a 1 minuto e 58 segundos
4 Alex Arseno (Dataro Computadores/ Curitiba) 17h 51min 46s a 2 minutos e 50 segundos
5 José Aparecido dos Santos (Caloi/ Extra/ Suzano) 17h 52min 20s a 3 minutos e 24 segundos
* Melhor estrangeiro Joachim Vollmann (Denzel Juvina/ Áustria) em 8o lugar 17h 56min 54s a 7 minutos e 58 segundos

RESULTADO DA PROVA DE CIRCUITO (ÚLTIMA ETAPA) 50 KM
1 Rodrigo de Mello Brito (Memorial-Santos) 1h 06min
2 André Grizante (Caloi/ Extra/ Suzano) com o mesmo tempo
3 Antonio Nascimento (Memorial-Santos) com o mesmo tempo
4 Breno Sidoti (Pedal Bike Shop/ São José dos Campos) com o mesmo tempo
5 José Piñeyrua (Mista 3) com o mesmo tempo

CLASSIFICAÇÃO FINAL POR EQUIPES
1 Equipe Memorial-Santos 51h 30min 01s
2 Equipe Vince/ Blumenau 51h 30min 13s diferença de 11 segundos
3 Equipe Avaí/ Florianópolis 51h 36min 22s diferença de 6 minutos e 9 segundos
4 Equipe Caloi/ Extra/ Suzano 51h 43min 27s
5 Equipe Pedal Bike Shop/ São José dos Campos 51h 44min 19s
6 Equipe Denzel Juvina/ Áustria 51h 48min 41s

PRÊMIO DE META VOLANTE APÓS 2 DISPUTAS
1 Rodrigo de Mello Brito (Memorial-Santos) 15 pontos
2 – Antonio Nascimento (Memorial-Santos) 8 pontos
3 Erni Meira (Joinville/ Joel Bikes) 5 pontos
3 Luca Segato (Espoirs de Laval/ Canadá) 5 pontos

CAMPEÃO DE MONTANHA
1 – Antonio Nascimento (Memorial-Santos) 16 pontos
2 Maurício Morandi (Vince/ Blumenau) 10 pontos
3 Alex Arseno (Dataro Computadores/ Curitiba) 8 pontos

MELHOR SUB 23 NA VOLTA
Alex Arseno (Dataro Computadores/ Curitiba)

Este texto foi escrito por: Fabio Maradei

Redação Webrun

Redação Webrun

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!

Ver todos os posts