Todos nascem com o gene de campeão?

Foto: Fotolia
Foto: Fotolia

Para um bom desempenho na corrida é fundamental que se faça um bom treinamento. Além disso, é preciso ter talento para conseguir se sobressair. O que chamo de talento está diretamente relacionado às capacidades que vão além das nossas características hereditárias.

Todos nós sabemos que pais e avós de atletas campeões, em geral, também foram campeões. Isso nos mostra que campeões nascem e se você não tem o gene de campeão, não se preocupe. Seu caminho pode ser mais difícil, ou não, depende muito do quão determinado você é e se o treinamento é feito sob medida para as suas necessidades.

Os genes são responsáveis pelo nosso potencial para o desenvolvimento de várias características estruturais e funcionais importantes do desempenho esportivo – algumas mais, outras menos. Como regra geral, as influências genéticas são mais fortes nos componentes estruturais, do corpo do que nos componentes funcionais, os quais podem sofrer maior influência do treinamento.

Para uma determinada característica, como a “resistência aeróbia” ou força muscular, algumas pessoas apresentam uma resposta forte ao treinamento, enquanto outras respondem de forma fraca a moderada. Isso significa que mesmo que seu potencial genético seja menor, você poderá ser capaz de desenvolver este potencial mais rápida e integralmente pelo treinamento intenso e com as adaptações externas. Com isso a sua dedicação às características técnicas e táticas, estratégias alimentares devem ter uma atenção especial para que consiga amenizar determinadas dificuldades de desempenho.

Por exemplo,força, flexibilidade, altura são características estruturais fortemente influenciadas pelos genes. Já equilíbrio, tempo de reação, precisão de movimentos, circunferência abdominal exercem efeito de leve a moderado sendo fortemente influenciadas pelo treinamento, dieta e outros fatores externos.

Além disso, características, como dieta, treinamento, nível de estresse, descanso desempenham um grande papel na expressão do seu potencial genético, se o seu for para um peso corporal baixo, mas se você está num ambiente estressante, que o leva a comer muito e se exercitar pouco, poderá superar esta herança genética e ser tornar obeso, por exemplo.

Participe da Corrida e Caminhada pela inclusão!

Os  genes são responsáveis por estabelecer a velocidade e o grau com que o organismo responde ao treinamento, para uma determinada característica como a resistência aeróbia ou a força muscular, algumas pessoas apresentam uma resposta forte ao treinamento enquanto que outras respondem de forma fraca a moderada em resposta ao mesmo treinamento. Porém, mesmo que seu potencial genético para correr uma meia maratona ou maratona seja menor, você é capaz de se desenvolver habilidades necessárias para correr percursos de longa distância através de um treinamento específico.  Com isso, a sua dedicação às características técnicas e táticas, estratégias alimentares devem ter uma atenção especial ou redobrada, a fim de compensar  determinadas dificuldades de desempenho.

Apesar de corredores dotados geneticamente terem mais facilidade para atingir seus objetivos, é possível que qualquer um compense sua falta de potencial genético com um bom treinamento e nutrição, controlando as táticas e habilidades necessárias para o alcance da excelência na corrida.

Outro detalhe importante que não podemos esquecer que além de treinar temos nossa profissão, família e uma relação pessoal que também faz parte do dia a dia. Portanto é importante avaliar se alguns segundos ou minutos a mais de treino e sacrifício é o que realmente quer e se não vão prejudicar suas obrigações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Aulus Sellmer

Aulus Sellmer

Bacharel em Esporte pela Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo (EEFEUSP) com especialização em treinamento desportivo pela USP, marketing esportivo pela UCLA Berkeley EUA e administração esportiva pela FGV-SP. Atualmente é pos graduado no curso MBA Qualidade de Vida em Gestão Corporativa pela Universidade São Camilo; pos graduando no curso Fisiologia aplicada à clínica pela UNIFESP; proprietário da assessoria esportiva 4any1, colaborador da Rádio Eldorado FM 107,3 e revista Contra Relógio.

Ver todos os posts