Tomar ou não suplementos para correr?

A pergunta que mais ouço sobre Nutrição Esportiva é: estou treinando X vezes por semana a modalidade Y. O que acha que eu devo tomar? Nesses casos os suplementos alimentares muitas vezes são vistos e apresentados como se promovessem melhoras incríveis. Porém, isso não é verdade para o amador. Uma dieta adequada já pode ser o suficiente.

Uma informação que muitas pessoas não sabem sobre a suplementação é que para utiliza-la a pessoa deve estar com uma dieta minimamente adequada. Além disso, a absoluta maioria dos atletas tem hábitos alimentares ou muito ruins ou com erros básicos de simples solução.

Um grupo de velocistas, que eu acompanhava, se preocupava com um único alimento durante todo o dia, a maltodextrina na hora do treino. O pior era que eles se alimentavam muito mal, e, portanto, nesses casos a maltodextrina deveria ser encarada como um dos fins e não o começo de todo treino.

O mais importante é analisar a dieta que a pessoa faz, para só então mexer naquilo que está errado. E geralmente são muitas as coisas erradas. Primeiro a decisão mais sábia (e barata) é corrigir o excesso de intervalo entre as refeições, que nunca deve ser maior do que quatro horas. Depois deve ser revista a escolha dos alimentos, que muitas vezes é mal feita. A outra é consumir uma quantidade adequada de carboidratos.

Nos casos daqueles que se alimentam mal, a suplementação acaba não fazendo efeito algum. Os efeitos dos suplementos aos olhos do consumidor dão uma certa magia a eles! Eu tive um maratonista alguns anos atrás que treinou como um leão para uma maratona e bateu seu recorde pessoal. Ele tomava por conta própria cápsulas de BCAA porque achava que faria bem. Eu não tinha como proibir.

Depois ele treinou para outra maratona e veio um novo recorde pessoal. Em uma terceira vez ele desistiu de tomar o BCAA. O recorde não veio, mas a explicação dada por ele para o resultado foi a falta de BCAA, porque ele disse que era isso que o fazia correr bem. Ou seja, o indivíduo treina diariamente, se dedica por um longo tempo até onde pode, leva uma vida regrada e acha que o resultado vem de pílulas! Ele então tomou a decisão de retomar o BCAA, fez uma nova prova e o resultado também não foi bom. E até hoje ele não faz idéia que é uma bobagem essa relação entre BCAA e a Maratona.

Mas por que alguns médicos ainda assim indicam esses suplementos? Pode não ser ético, mas, hoje essas indicações são questão de sobrevivência no mercado e também um tipo de tratamento por placebo no paciente.

Na Nutrição isso também acontece, pois o Nutricionista muda toda a dieta do indivíduo para ele alcançar o que deseja e mesmo assim para o paciente isso não parece o bastante. O indivíduo só ficará contente se também tiver que tomar alguma suplementação. É quase um troféu quando chega entre os seus colegas com a recomendação de um profissional para tomar algo, como se ele fosse alguém especial.

Para o profissional, não receitar algo vai lhe custar a imagem de alguém não atualizado com as novidades do mercado de produtos. Por isso ele acaba prescrevendo porque sabe que o produto é quase inócuo e tem um efeito psicológico positivo.

Agora no começo deste ano um amigo que está voltando aos treinos intensos veio me perguntar se deveria tomar alguns suplementos para ter melhor rendimento. Eu respondi que ele pode, pois eles não engordavam, não faziam mal, movimentavam a economia, ainda geravam emprego e ainda o faziam feliz. Disse que ele só não esperasse alguma melhora por isso. Ao se tratar de Nutrição Esportiva começar pelo básico é na maioria das vezes o melhor suplemento.

Este texto foi escrito por: Danilo Balu

Redação Webrun

Redação Webrun

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!

Ver todos os posts