Tour de France de 2022 começa na Dinamarca e poderá ter um tri campeão

Tour de France de 2022 começa na Dinamarca e poderá ter um tri campeão

Depois de algumas edições mais “nacionais”, o Tour de France voltará a se aventurar fora do território francês. O anúncio do circuito feito em outubro trouxe a notícia que o evento que começa no dia 1º de julho de 2022 terá início na Dinamarca, mais precisamente na capital Copenhague.

O evento que é finalizado tradicionalmente em Paris, na Champs-Élysées, é o grande campeonato do ano para o ciclismo e por isso a expectativa para sua disputa é bastante antecipada. Nos melhores sites de apostas esportivas é possível dar seus palpites em quem será o campeão muito antes da primeira largada.

Campeão em 2020 e 2021, o esloveno Tadej Pogacar busca o tri em 2022 e o atleta de 23 anos apenas já é o favorito. Pogacar foi o mais novo ciclista a vencer o Tour em 110 anos com sua conquista em 2020 e no ano seguinte provou que não foi um acidente sua conquista, firmando seu nome na história com o bi. 

Seu compatriota, o bem mais experiente Primoz Roglic (32 anos) segue atrás, mas muitos analistas acreditam que finalmente chegou a hora do três vezes campeão da Volta da Espanha (2019, 2020 e 2021), mas que até hoje bateu na trave no torneio francês, com três vitórias em etapas e o segundo lugar na classificação geral em 2020.

Completa o pódio nas odds oferecidas, o dinamarquês Jonas Vingegaard. Apesar de estar bastante atrás dos dois eslovenos na consideração estatística da maioria das casas de apostas e para o público, ele terá uma vantagem: as três etapas iniciais serão em seu país, com a disputa chegando na França apenas na quarta etapa, no deslocamento entre Dunkirk e Calais.

Por fim, o quarto lugar nas odds é do colombiano Egan Bernal, campeão do tour em 2019 e primeiro e único sul-americano a conseguir esse feito. 

Não é a primeira vez que o Tour sai da França

Com a proximidade de vários outros países e as fronteiras abertas da Europa, o Tour da França não fica só na França na maior parte das vezes. Em 1954 aconteceu a primeira “escapada”, com o começo em Amsterdã, na Holanda. A Bélgica, por estar colada na França – inclusive boa parte da população fala francês – também teve suas etapas em Bruxelas e Liege. Suíça, Alemanha, Espanha e Monaco também tiveram etapas e a expansão chegou até as ilhas britânicas. Londres foi o início do Tour de 2007, Dublin do Tour de 1998 e Leeds em 2014.

A Dinamarca terá essa honra em 2022, mas quem estiver com o mapa da Europa aberto pode ficar tranquilo: os ciclistas não terão que atravessar a Alemanha para chegar no país que dá nome à competição. Depois das três etapas iniciais no país nórdico o torneio continuará em Dunkirk mesmo.

Também é preciso citar as etapas que acontecem ao redor do mundo, que não contam para a classificação geral do tour tradicional, mas ajudam a expor a marca e popularizar o ciclismo no mundo. No Brasil já foram realizadas sete edições e, neste ano de 2021, pela primeira vez será no Rio de Janeiro (L’Etape Rio).

Volta do glamour após anos difíceis

Quem olhar a lista de vencedores do Tour da França verá alguns vazios grandes, como os anos da Primeira e Segunda Guerra Mundial. Entretanto, os anos 90 e 2000 também tem suas vacâncias: Lance Armstrong, sete vezes campeão de forma consecutiva, teve seus títulos retirados por doping e foi banido do esporte. Esses e outros campeonatos foram colocados em suspeição e o problema do doping varreu o esporte por mais de uma década.

Com isso a lista de maiores vencedores tem os franceses Jacques Anquetil e Bernard Hinault, o belga Eddy Merckx e o espanhol Miguel Indurain, único da lista a conquistar seus cinco títulos de forma seguida, entre 1991 e 1995.

Os anos de Armstrong são diferentes porque quando um vencedor é retirado de seus títulos o segundo colocado torna-se o vencedor, mas como o problema do doping era tão disseminado, foi uma escolha optar por deixar o lugar vazio. Até porque, em um dos anos, o título teria sido de Jan Ulrich, também acusado de violar as regras.

Com as punições e uma nova geração de ciclistas, o Tour de France resistiu e restaurou sua credibilidade, organizando inclusive uma versão para as ciclistas em 2022 que promete também ser um sucesso. Com lindas paisagens, mais de um século de história e grandes atletas, esta é uma das competições mais imperdíveis do esporte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Redação Webrun

Redação Webrun

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!

Ver todos os posts