Triathlon x Mundo Corporativo: onde eles se cruzam?

Foto: Arquivo Pessoal Eduardo Abreu

Eu pratico triathlon. Já faz algum tempo. Não é um mundo novo para mim. E o treino da minha mente é tão importante como o treino do meu corpo. Na minha sala de trabalho eu tenho um quadro que leio diariamente, onde está escrito: My body says no more. My mind says one more. (Meu corpo diz não mais. Minha mente diz mais uma vez.)

Eu acredito que esse tipo de esporte fica mais fácil com a idade, com a experiência de vida, e claro, com toda a bagagem que o mundo corporativo nos traz. Por isso, é normal que os grandes maratonistas e os grandes vencedores das competições de Ironman não sejam jovens iniciantes, mas sim, pessoas com mais experiência.

Para a maioria das pessoas, o triathlon é um esporte que engloba três modalidades: natação, bicicleta e corrida. Essa afirmação não está errada, mas, eu posso afirmar que ele engloba cinco atividades contando com os treinos de musculação e de alongamento. Mas o que isso tem a ver com o meu trabalho? Onde é que esses dois mundos que parecem paralelos, se cruzam?

Sem dúvida alguma, o maior desafio do triathlon está no planejamento e na disciplina para coordenar os treinos com a vida profissional, família e amigos. Já do lado profissional, os desafios também são o planejamento para atingir as metas e a disciplina para que você e sua equipe, não “fujam” do caminho. Você precisa ter um plano traçado e estruturado com ações práticas para atingir seu objetivo final, em ambos os casos.

+ 42K Buenos Aires, clique aqui e garanta sua presença!

Sempre temos uma modalidade como preferência no triathlon, em que temos mais facilidade de treinar e obtemos os melhores resultados. Mas, assim como no dia a dia do trabalho, precisamos nos aperfeiçoar e aprender cada vez mais as demais áreas para nos aperfeiçoarmos sempre em busca de um melhor resultado. Um outro ponto bastante importante é na organização das atividades. Temos que sempre estar atentos não apenas no que estamos fazendo naquele momento, mas também na próxima etapa, seja na transição para bicicleta ou para a corrida ou em um novo projeto. Nessa fase, a organização prévia do equipamento no curto período que temos para fazer a transição, é fundamental para a otimização do tempo. E aqui não preciso nem dizer o quão importante é o bom uso do nosso tempo na vida corporativa.  

Foto: Arquivo Pessoal Eduardo Abreu

+ Inscrições para o Camelbak Mountain Race, clique aqui.

Eu costumo dizer que no Triathlon você tem uma rede de apoio para te ajudar a elaborar os treinos e para te motivar nas provas. Assim como no mundo corporativo, em que você precisa ter uma estrutura preparada e alinhada, sempre junto com você, pensando no objetivo final. Tem uma frase do Ryunosuke Satoro que gosto muito que diz: “Individually, we are one drop. Together we are an ocean.” (Separados, somos uma gota. Juntos, somos um oceano) Isso diz muito sobre a minha relação com a minha equipe. Tanto a do Triathlon como o do meu time de trabalho.

Lidar com imprevistos também faz parte da rotina de quem pratica Triathlon. Uma câimbra na natação, uma queda da bicicleta ou ainda um pneu furado, são situações que precisamos estar preparados para lidar rapidamente. Assim como no trabalho onde lidamos com diferentes pessoas, com diversas histórias de vida, em que muitas vezes a emoção fala mais forte que a razão e nós precisamos estar preparados para lidar com situações diversas.

É aqui que esses mundos se cruzam: com foco nos treinos, disciplina, e ser obcecado por bons resultados vamos conseguir atingir nossos objetivos. Seja no esporte ou na vida profissional.

* Este texto foi escrito por Eduardo Abreu, Vice Presidente de Novos Negócios da Visa do Brasil,

+ Clique aqui e escolha seu próximo desafio!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Redação Webrun

Redação Webrun

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!

Ver todos os posts