Vencendo desafios

Não é novidade para o ser humano o fascínio pela superação de seus limites. Cada vez mais o homem busca ser o mais rápido, saltar mais longe, mais alto, resistir às corridas mais longas. Até onde vai a força e determinação do homem para superar os desafios?

Márcio Milan, em seu livro ‘Vencendo Desafios’, da Editora Atheneu, descreve: ‘a sensação de vencer desafios é tão forte que nos motiva logo a traçar outros e outros mais, e persegui-los. Isto é vida!’

Esses tipos de desafios são para poucos. Pessoas especiais, com qualidades especiais e, principalmente, fator genético especial.

Para enfrentar os desafios das ultramaratonas, provas que vão muito além dos 42.195 metros (distância oficial da maratona), são necessários cuidados mais do que extras.

Desde a Grécia Antiga, são realizadas provas de longas distâncias, chamadas de ultramaratonas.

Entre as mais famosas estão: A Corrida do Vale da Morte, prova com 246 quilômetros realizada no deserto dos Estados Unidos, com temperaturas acima de 40 graus durante o dia e abaixo de zero durante a noite, e a Comrades Marathon, prova de quase 90 quilômetros realizada todo dia 16 de junho (Dia da Juventude) na África do Sul, há 80 anos.

Tudo começou no dia 24 de maio de 1921, onde apenas 34 corredores deram início à aventura. O vencedor foi o sul-africano Bill Rowan, com 8h59min. Considerada a corrida mais difícil do mundo, Comrades (significa amigos em africaner, um dos onze idiomas oficiais) se destaca pelo duro trajeto de 89 km, dos quais 84 km são em subidas.

Pontualmente às 5h30 horas da manhã, ao som do canto do galo (que é o sinal de partida), 16 mil corredores largam em Pietermaritzburg (cidade do interior da África do Sul) rumo a Durban (região litorânea). Sua direção é invertida todos os anos.

O tempo-limite para completar o trajeto é de 12 horas.

Márcio Milan, diretor do Grupo Pão de Açúcar, em 1997, aos 48 anos, foi o primeiro brasileiro, em 76 anos, a vencer esse desafio, concluindo o percurso em 9h55min, média de 6min36 por quilômetro.

O melhor resultado pertence ao sul-africano Bruce Fordyce, com 5h24min07, recorde que já dura há dezessete anos (1986). Fordyce é considerado o rei de Comrades e entrou para a história como o maior vencedor. Foram oito anos seguidos (81, 82, 83, 84, 85, 86, 87, 88) e a nona vitória em 1990.

O atleta mais famoso a vencer essa prova foi o cubano naturalizado americano Alberto Salazar, em 1994, tricampeão da famosa Maratona de Nova Iorque (80, 81 e 82), onde estabeleceu o recorde mundial de 2h08min13, em 1981. Salazar também venceu a Maratona de Boston em 1982. Atualmente é técnico de cross-country em Portland, nos Estados Unidos.

Para o feminino, o melhor resultado é da americana Ann Trason, com 5h58min50, estabelecido no ano de 1997. Trason também havia vencido em 1996. Por várias vezes foi a vencedora da Western States 100 Mile (160 quilômetros) Endurance Run, nos Estados Unidos, além de ser recordista mundial das 50 milhas (80 quilômetros), 100 milhas e dos 100 quilômetros.

Este texto foi escrito por: Wanderlei de Oliveira

Redação Webrun

Redação Webrun

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!

Ver todos os posts