Você sabe o que é Síndrome do Stress Tibial Medial?

Sem dúvida este problema faz parte do cotidiano de muitos corredores pelo mundo afora. Tecnicamente descrita como síndrome do stress tibial medial, a popular canelite nada mais é do que a irritação e a inflamação de uma faixa de periósteo (membrana que recobre o osso) da tíbia na parte frontal da perna (“canela”), que cursa com dor e dificuldade para caminhar e/ou correr.

Ilustração da tíbia e da lesão STTM Foto: Steven K. Below M.D.
Ilustração da tíbia e da lesão STTM Foto: Steven K. Below M.D.

Ocorre por ocasião de um aumento súbito e desproporcional do volume de treino (frequência, intensidade) sem que os músculos da parte frontal da perna estejam adequadamente preparados para atenuar esta mudança de solicitação mecânica sobre o aparelho músculo-esquelético. Ou seja, os músculos não estão suficientemente fortes para suportar o aumento de carga.

Acredita-se que esta lesão seja precursora da temível fratura de stress, portanto deve ser encarada com a devida importância. De tratamento eminentemente conservador, ela responde bem às medidas fisioterápicas para analgesia, como eletroterapia e crioterapia (compressas de gelo) e diminuição do ritmo de treino. Medicação antiinflamatória não deve ser prescrita por mais do que alguns dias e o corredor deve procurar enfatizar atividades aeróbicas alternativas durante este período de recuperação, como bicicleta, “spinning”, natação ou hidroginástica.

A prevenção vem com o fortalecimento da musculatura da face anterior da perna (principalmente o músculo tibial anterior) e mudanças de alguns fatores extrínsecos do treinamento, como o uso de calçados adequados, preferência por treinos em superfícies mais macias, aumento progressivo de volume e intensidade de treino, calendário racional de corridas e respeito aos alertas do corpo, como a dor na região. Todo cuidado é pouco, pois esta é uma lesão que pode levar a uma situação crônica e se transformar em algo de difícil tratamento.

Dr. José Marques Neto

Dr. José Marques Neto

Graduado em medicina pela Universidade de São Paulo (USP) e em cinesiologia, Magna Cum Laude, pela Texas Christian University,
nos Estados Unidos. Médico especialista em Medicina do Esporte pela SBME e em Ortopedia e Traumatologia pela SBOT, pós-graduado em Fisiologia do Exercício pelo Instituto de Ciências Biológicas-USP e em Biomecânica da Saúde e Atividade Física pela Universidade Gama Filho. Consultor em Medicina do Esporte das revistas Contra Relógio e Women's Health, e do site Webrun. Médico do Esporte do Instituto VITA em São Paulo.

Ver todos os posts